Origem

Em uma época onde duas envolventes evoluções na área de redes, a comunicação sem fio e a Internet aparecem, surge a necessidade de uma tecnologia que utilize estas novas evoluções, nasce então o WAP. Desde a sua criação os desenvolvedores do WAP tinham em mente que este protocolo deveria ser desenvolvido de forma a funcionar em ambientes com recursos limitados:

  • Nos clientes - CPUs de baixas velocidades, pequena quantidade de memória, quantidade limitada de energia e variados tipos de dispositivos de entrada (teclado de um celular) e saída.
  • No meio de transporte - baixas larguras de banda, alta taxa de latência, baixa estabilidade na conexão.

    Observadas estas restrições foi construída a arquitetura do WAP.

    O modelo WAP



    O WAP define um conjunto de componentes que permitem a comunicação entre terminais móveis (celulares, palms) e servidores, são eles:

  • Standard naming model: URLs padrões do WWW são utilizadas para identificar conteúdo WAP em servidores de origem, e também na identificação de recursos em um dispositivo, por exemplo a chamada de funções de controle.
  • Tipificação de conteúdo: todo conteúdo WAP recebe uma tipificação consistente com a tipificação WWW. Isto permite aos WAP user agents processar corretamente o conteúdo baseado no seu tipo.
  • Formatos padrão de conteúdo: formatos de conteúdo WAP são baseados em tecnologia WWW e incluem imagem e linguagem de script.
  • Protocolos padrão de comunicação: protocolos de comunicação WAP permitem a comunicação de requisições de um browser de terminal móvel com o servidor web.
  • Protocolos de Gateway: o protocolo de gateway traduz requisições da pilha de protocolos WAP (WSP, WTP, WTLS, e WDP) para a pilha de protocolos WWW (HTTP e TCP/IP).
  • Codificadores e Decodificadores de conteúdo: os codificadores de conteúdo traduzem conteúdo WAP em formatos codificados e compactados para reduzir o tamanho dos dados que trafegam na rede.

    Exemplo de uma rede WAP (retirado do Wireless Applocation Protocol Architecture Specification)



    No exemplo, o cliente WAP comunica-se com dois servidores na rede wireless. O proxy WAP traduz a requisição WAP em uma requisição WWW permitindo assim que o cliente WAP submeta a sua requisição ao servidor web. O proxy também codifica as respostas do servidor web em um formato binário compacto compreendido pelo cliente.

    Se o servidor web provê conteúdo WAP (ex. WML), o proxy WAP remete diretamente do servidor web. Porém, se o servidor web provê conteúdo WWW (ex. HTML), um filtro é utilizado para traduzir o conteúdo WWW em conteúdo WAP. Por exemplo, um filtro HTML iria traduzir HTML em WML.

    O servidor de Aplicação Telefônica Wireless (WTA) é um exemplo de servidor de origem ou gateway que responde diretamente a requisições do cliente WAP. O servidor WTA é utilizado para prover acesso WAP aos produtos da infra-estrutura da rede do provedor de telecomincações (ex. saldos, correio de voz, etc...).

  • Desenvolvido por: Giovani Spagnolo | Fernando Moschetti | Rafael Scopel. Turma 128.